Guitarradas de Fado
music from the soul of portugal

 

This website hosted by  © 2010 Carvalheira, Escobar, & Cardadeiro.  All rights reserved.

Manuel Escobar

Manuel Escobar, quando tinha apenas oito anos de idade, principiou a tocar violino na sua terra natal, freguesia do Salão, ilha do Faial, Açores.   O seu gosto pela música já era evidente, pois ele próprio é que se auto-ensinou a tocar esse instrumento.  As suas habilidades musicais evoluiram quando, aos nove anos, começou a tocar para ranchos, rapidamente conseguir ser o mais jovem violinista de todos os ranchos na ilha do Faial.

O Manuel continou a tocar e aperfeiçoar a sua competência de violinista durante a sua juventude, e, quando tinha vinte anos, altura em que prestou servico militar, obteve a sua primeira viola.  Também foi o seu próprio professor na aprendizagem deste instrumento, inicialmente tocando só para o seu próprio prazer e poucos meses depois, tocava já para os seus colegas magalas nas horas livres.  Depois de completar o servico militar, o Manuel decidiu permanentemente dedicar-se só á viola, e foi então que mais uma vez se juntou aos ranchos, mas desta vez como violista.   Os seus horizontes musicais expandiram quando principiou a participar em ranchos de Natal e depois como membro activo do Grupo Folclórico do Salão, A Capela do Salão e Teatros do Salão.  Agora o Manuel era já muito conhecido na sua terra pelo seu contributo ao folclore e música tradicional, e o seu nome era sinónimo com os melhores grupos da ilha neste género de música.

Quando tinha trinta anos, imigrou para os Estados Unidos, e depois de criar alicerces nesta nova nação, para sí e para a sua familia, voltou a integrar-se na cena musical participando em danças de carnaval e teatros, aos quais se dedicou e continuou por muitos anos.   Dotado de uma magnifica personalidade, um verdadeiro amigo dos amigos, e uma constante dedicação no esforço de melhorar os seus conhecimentos musicais, trouxe para o Manuel a admiração e o respeito da comunidade musical.

Depois surgiu o seu amor pelo Fado.  Isto aconteceu em 1991.  Inicialmente, esse interesse pelo fado começava-se a desenrolar ao ouvir a nossa chamada canção nacional ouvindo o fado através de gravações, rádio, etc…..  A seguir, aos poucos e poucos, começou a tocar a sua viola, acompanhando fados que ouvia desses discos.  Também, assistia, quando podia, a noites de fado que regularmente se realizam através do estado da California, entretanto, e de vez em quando, tocava fados com os amigos durante a década de 90, mas nada mais aconteceu até que em 2000 se juntou ao seu amigo, o guitarrista Alcindo Bettenourt.  Foi então que decidiu focar e levar todas as sua energias e entusiasmo unicamente p’ro Fado.   As suas primeiras pisadas nos palcos, agora como violista acompanhante do fado, foram para participar em noites de fado com velhas amizades tais como a fadista Jesualda Azevedo, Isalino dos Santos e Leonesa Silva.

Após um curto periodo de aproximadamente seis meses, como violista de fado em várias apresentações públicas, o Manuel convidou o João Cardadeiro para auxiliar  e assim aumentar o duo para um trio, agora completo com um viola-baixo, e o João nunca mais os deixou!!  O trio, por vezes aumentado pelo conhecido guitarrista Leonel Medeiros, acompanhou, entre outros, a famosa fadista Joana Amendoeira e Aurélio de Oliveira.   Eram os três os artistas escolhidos  para actuarem nas noites de fado do restaurante La Salette em Sonoma, California.

Em 2002, o Manuel, voltou á sua ilha do Faial, triunfante, participando agora no festival anual da Semana do Mar, e numa grande noite de fados, onde tocou viola ao lado de nomes famosos ligados ao fado, Pedro Amendoeira, Carlos Manuel Proença, estes dois exímios violistas, e Paul Paz, contrabaixista.   Com eles o Manuel mais uma vez acompanhou a fadista Joana Amendoeira.

Em 2003, o Manuel e o João convidaram o Helder Carvalheira para com eles se juntar em varios ensaios, e, pronto, aqui estamos hoje, os três . . .

Mudar

Idioma